ACAERT mobilizada no Dia Mundial de Doação de Sangue

Campanha interna na equipe, apoio editorial e doação de sangue marcam a data

14/06/2021


 Presidente da ACAERT, Silvano Silva, é doador de sangue há três anos

A necessidade de sangue seguro é universal. O sangue é essencial para tratamentos e intervenções urgentes e pode ajudar pacientes que sofrem de condições com risco de vida, além de apoiar procedimentos médicos e cirúrgicos complexos. O sangue também é vital para o tratamento de feridos durante emergências de todos os tipos (desastres naturais, acidentes, conflitos armados etc.) e tem um papel essencial nos cuidados maternos e neonatais. Um suprimento adequado de sangue só pode ser garantido através de doações regulares e voluntárias. Neste sentido, foi instituído o Dia 14 de junho como o Dia Mundial de Doação de Sangue.

A ACAERT lembrou a data com várias ações destacando a importância da doação de sangue. Para a equipe de colaboradores foi criado um card com informações básicas para doadores. O material foi compartilhado nas redes sociais. Ao longo do ano, a Rede de Notícias ACAERT – RNA produz matérias sobre o assunto. Já o presidente da ACAERT, Silvano Silva, foi até o Hemosc de Joinville para fazer sua doação. “Um gesto simples, mas que traz um sentimento de gratidão pela vida para quem doa”, destacou Silvano, que é doador de sangue há três anos.

Na equipe de colaboradores da ACAERT também há vários doadores de sangue. A coordenadora Operacional da RCA, Andrea Juttel, é doadora de sangue há quase 22 anos. E mesmo na pandemia, ela não deixou de praticar o ato nobre. “Sempre achei um ato de generosidade e amor pelo próximo. Essa minha vontade de doar aumentou quando eu tive minha primeira filha que precisou fazer uma cirurgia quando tinha 8 meses de vida. Ali vi o quanto era importante e ao mesmo tempo como era difícil estar com alguém que a gente ama doente e ao mesmo tempo ter essa preocupação em achar doadores compatíveis”

A auxiliar de Checking, Karol Pereira, já doa desde 2007. “Penso que um dia eu ou alguém que eu amo pode precisar também. Não gosto de imaginar a agonia que seria saber que os estoques estão baixos ou que não tem o tipo de sangue de que precisaríamos. A minha motivação é a Vida”.

A repórter da RNA, Jéssica Mello, já doou sangue várias vezes. "É só agendar, confirmar algumas informações com a equipe, que é muito atenciosa, e todo o processo ocorre rápido! É uma ótima oportunidade de ajudar quem mais precisa, principalmente em um momento em que as doações têm caído muito”, ensina.

A primeira doação da editora da RNA, Carol Denardi, foi em 2002. De lá pra cá, vem doando sempre que pode. A última foi no dia 15 de abril deste ano. “Com uns 14 anos, mais ou menos, um tio meu (já falecido), precisou de sangue para uma cirurgia. Como eu não poderia doar, por ser de menor, mobilizei a população da minha cidade natal, Medianeira, Paraná, para conseguirmos doadores. Missão cumprida, cirurgia feita e com sucesso. Desde então, não via a hora de poder doar.  Mas como sempre tive problemas com o ferro muito baixo, anemia, era um pouco difícil. Foi somente já morando aqui em Santa Catarina, no ano de 2002, quando consegui finalmente fazer minha primeira doação”.

Quem também doa sangue é o auxiliar de Checking, Gabriel Ferreira, que está na entidade há dois meses. Ele é doador desde 2016. Hábito que surgiu depois que minha mãe precisou de sangue! Passar pela angústia de não saber se haverá estoque suficiente pra salvar a vida de minha mãe foi algo que mexeu muito comigo!! Depois desta experiência, que não desejo a ninguém, sempre que posso colaboro com a minha doação!”.

Quer receber notícias da ACAERT? Assine a newsletter  - Assine aqui e receba por e-mail  bit.ly


Card produzido para a equipe de colaboradores


A editora da RNA, Carol Denardi 


Reporter: Assessoria de Imprensa ACAERT

Últimas notícias