Rádio segue como plataforma de maior alcance nos Estados Unidos

(08/06) Levantamento aponta que o rádio continua a frente de plataformas como a televisão e os smartphones

Um levantamento realizado pela Nilsen, referente ao último trimestre de 2016, aponta que o rádio segue como a plataforma de maior alcance nos Estados Unidos, com 93% nesse quesito. Esse valor posiciona o rádio norte-americano à frente da televisão e de smartphones. O meio rádio também é consumido mesma proporção por todas as faixas etárias nos Estados Unidos, também segundo um estudo realizado pela Nielsen. Já no Brasil, o alcance médio do meio rádio é de 89% nas principais regiões metropolitanas, segundo o Kantar Ibope Media.
 
 
O alcance aponta o consumo de uma determinada plataforma ou formato de mídia. Com 93%, o rádio é seguido nos Estados Unidos pela Televisão (89%), smartphones (83%), PCs (50%), TVs conectadas (44%) e tablets (37%). Vale lembrar que há um forte investimento do setor de radiodifusão em ambientes on-line em território norte-americano, considerando que o conteúdo do rádio já é consumido em plataformas como smartphones, PCs e tablets (através dos portais on-line e dos aplicativos móveis).
 
O estudo aponta o alcance semanal nos Estados Unidos e o rádio tem o seguinte desempenho por faixa etária: 92% entre 18 e 34 anos, 95% entre 35 e 49 anos e 92% para a faixa a partir dos 50 anos. Isso também posiciona a plataforma rádio como a de maior uniformidade entre as faixas. Por exemplo: com 83% de média, o smartphone alcança 91% entre 18 e 34 anos, 96% entre 35 e 49 e 70% a partir dos 50 anos. Já a televisão, com média de 89%, recua na faixa “mais jovem” (18 a 34) com 79%, contra 94% do público com idade de 50 anos ou superior.
 
 
Outro fato curioso sobre o consumo de rádio nos Estados Unidos é a uniformidade nas faixas etárias. Por exemplo: o rádio representa 16% da audiência por plataforma, valor atingido nas faixas etárias de 18 a 34, 35 a 49 e a partir dos 50 anos. A televisão amplia a sua parcela na audiência entre o público mais velho, enquanto o smartphone tem uma maior participação entre os mais jovens.

Fonte: Tudo Rádio