Pesquisa Ipsos reafirma força do rádio, crescimento do áudio e a convivência do meio com os podcasts

(24/06) Meio rádio continua na dianteira do consumo de áudio nos Estados Unidos, com 69% de audição diária e 85% semanal

O rádio dos Estados Unidos continua colecionando números de destaque em relação ao seu consumo. Segundo pesquisa recente realizada pela Ipsos, que foi encomendada pela iHeartMedia, o mercado de áudio continua em expansão e, os Millennials, estão ouvindo cada vez mais conteúdo desse tipo, mais do que qualquer outra geração. Detalhes importantes: o rádio AM/FM está na dianteira desse consumo e os Millennials estão "ouvindo mais e vendo menos". Outro ponto é a percepção de que o público de rádio é o mesmo de podcast, ou seja, um formato complementa o outro no consumo. Acompanhe:

Segundo o portal norte-americano Inside Radio, os resultados da pesquisa foram apresentados para o mercado publicitário e de mídia na noite da última quinta-feira (20). Os dados apontam que o rádio AM/FM alcança 85% dos consumidores semanalmente e 69% diariamente, volumes superiores a qualquer outro formato de mídia nos Estados Unidos (veja abaixo).

Detalhe: o rádio conta com duas vezes a audição diária dos serviços de streaming, onde o rádio AM/FM atinge a já citada marca dos 69% contra 34% do streaming de música.

A amostra da Ipson é nacional e representativa, com 6.016 consumidores de 13 a 64 anos, onde cada um ouve uma ou mais plataformas de áudio pelo menos uma vez por semana. Ou seja, a pesquisa aponta que a população está cada vez mais consumindo áudio e utilizando cada vez mais plataformas. Entre elas estão transmissão de rádio, transmissão digital, podastes e smart speakers (streaming de rádio ou de serviços on-demand). O uso é multiplataforma e crescente.

Áudio ampliando a relevância

A Ipsos aponta que os consumidores norte-americanos estão "ouvindo mais e vendo menos", ponto que reforça o que já foi apontado por outra pesquisa, a da Nielsen (chamada Audio Today). Segundo a Ipsos, todas as idades gostam de ouvir áudio e gastam uma média de 17,2 horas por semana com transmissão de rádio, serviços de streaming de música, podcasts e outros canais de áudio. 

Em relação às gerações, os Millennials e Gen Z mais ouvem, gastando mais de 18 horas por semana (2,6 horas ou mais a cada dia) ouvindo áudio. "Esses números, juntamente com a contínua popularidade da mídia social, refletem a necessidade dos consumidores por conexões humanas ao vivo", afirma o estudo da Ipsos em sua apresentação ao mercado.

Ao portal norte-americano Inside Radio, Bob Pittman, CEO da iHeartMedia, afirma que o formato áudio está em alta e é "uma necessidade para os profissionais de marketing que buscam atingir públicos cada vez mais esquivos e fraturados". 

"Se você olhar os dados, é inegável que os consumidores estão ouvindo mais e observando menos, e este estudo descreve quando, onde e por quê", diz Pittman. "Ao contrário de algumas percepções equivocadas, isso mostra que estamos vivendo em um primeiro mundo de áudio, explorando uma visão geral mais granular da escuta de áudio e mostrando como é um dia na vida do ouvinte comum quando se trata de consumo de mídia", afirma o CEO da iHeartMedia, grupo que também avançou de forma considerável na área de podcast.

Ouvindo mais fora de casa?

O estudo recente da Ipsos também afirma que o consumo de áudio está mais frequente "no caminho" do público (on-the-go, termo de marketing para detalhar hábitos de consumo durante o deslocamento das pessoas). A pesquisa mostra que 65% da audição de áudio ocorre fora de casa e, na maioria das vezes, no carro, com rádio representando 65% da audição de áudio no veículo. 

O Inside Radio, com base nos números da pesquisa Ipsos, destaca que, no entanto, o papel de companheirismo da rádio se estende ao longo do dia, liderando o uso da mídia em 70% das horas de "vigília" e é a plataforma de áudio mais usada durante todo o dia e em todas as horas.

Smart speakers

Apesar do alto consumo de áudio no descolamento, a Ipsos também destaca que o avanço das smart speakers (caixas de som inteligentes) estão auxiliando no avanço desses números. "O rádio está mais proeminente em casa, revelando que as casas com esses dispositivos inteligentes gastam 47% mais tempo ouvindo rádio durante as primeiras horas (das 8h às 22h) do que os ouvintes sem", destaca o Inside Radio.

Ouvintes de podcast também são de rádio

O Podcast avança segundo a Ipsos e seu consumo também está atrelado ao rádio. O Podcast agora representam quase 10% da audição de áudio entre os Millennials. O Inside Rádio destaca também que "desmascarando as percepções errôneas de que o público de podcast e rádio são campos separados, o estudo mostra que os ouvintes de podcasts também são ouvintes de rádio, com 82% também ouvindo rádio semanalmente", diz o portal com base no estudo da Ipsos.

Além disso, o rádio continua sendo a escolha de áudio número 1 para a Geração Z, já que os podcasts estão substituindo o vídeo on-line como uma fuga diurna para muitos durante o trabalho e a escola, afirma o estudo.

"O rádio é há muito tempo uma companhia confiável para pessoas de todas as idades, então não é surpresa que ela continue a ser o principal destino quando as pessoas querem se conectar com outras pessoas e com sua comunidade", disse Gayle Troberman, CMO da iHeartMedia. "A única diferença agora em relação a décadas atrás é que hoje as pessoas podem desfrutar dessa conexão em qualquer lugar que estejam em uma variedade de plataformas". 

Com informações do Inside Radio, Ipsos e IHeartMedia

Fonte: Tudo Rádio