Coronavírus: Convergência do rádio nas mídias sociais aumenta audiência

(24/04) Mais atual do que nunca, o rádio se adaptou às ferramentas digitais e fideliza novos ouvintes com produção de vídeos

O rádio sempre foi um companheiro dos ouvintes pela sua tecnologia simples e flexível. Em casa, no trabalho, no carro. Onde tiver sempre um receptor, do fiel radinho de pilha até os aplicativos de celulares, o rádio será a companhia de todas as horas. Com a expansão da internet, as emissoras logo perceberam que o veículo precisava se atualizar e, muitas vezes, se reinventar. E em tempo de mídias sociais, a programação de uma emissora não chega mais só pelas ondas eletromagnéticas como também por vídeo.  Sim, o rádio entrou definitivamente na era da imagem. E isso já não é mais novidade para muitas emissoras. Agora, mais do aque nunca, a convergência digital do rádio cresceu neste período de pandemia do novo coronavírus. A emissora que já produzia vídeos e lives, por exemplo, reforçaram a ação. Quem não fazia, começou a fazer.  

A rádio Vitória, de Videira, está no primeiro grupo. Transmissão em vídeo em tempo real já é rotina. Na pandemia, a área de jornalismo não faz mais entrevistas presenciais no estúdio. A maneira encontrada foi a videochamada. Como destaca o repórter Ramon Gabriel. “Fechamos as portas da emissora mas abrimos as portas das videochamadas. Marcamos as entrevistas normalmente até mais do que antes porque temos a oportunidade de fazer a entrevista com pessoas de outros países. Isso nos proporcionou um grande aumento de audiência por conta do assunto explorado nas redes sociais e no rádio. Aumentamos o alcance, o tráfego o número de comentários, tudo”.

O repórter Mateus Mitterer, da rádio Líder, de Herval D’Oeste, informa que a emissora chegou a criar um programa especial sobre o covid-19 com transmissão simultânea nas redes sociais.  “O programa Coronavírus pelo mundo trouxe relatos de brasileiros em outros países. A recepção por parte dos nossos ouvintes foi a melhor possível”.

Transmissão - Até há pouco tempo, a apresentadora Lili Ane, das rádios V e Videira, não fazia lives nas redes sociais. Mas aos poucos, ela e seus colegas passaram a utilizar as ferramentas digitais. O resultado foi tão positivo, que Lili foi destacada como apresentadora oficial da emissora nos eventos na região. Sua presença na internet é marcante. “Aumentou a audiência. Eu e todos os comunicadores estamos usando bastante as redes sociais. A gente tem que se reinventar todo dia. Essa proximidade com o ouvinte é muito legal. Eu nunca me sinto sozinha no rádio. Parece que eu tenho sempre um público ali no estúdio”.

Para o jornalista Carlos Magagnin, da Transamérica de Balneário Camboriú, a transmissão ao vivo nas redes sociais requer a mesma responsabilidade que se tem no rádio. “Transmissão em tempo real porque o pessoal participa também muito pelo facebook. Por vezes não estão acompanhando o rádio e nem pelo aplicativo de celular, estão no facebook e recebem a notificação da transmissão. Então, sempre é importante a gente ter a responsabilidade que se tem no rádio também nas  redes sociais”.

Há três anos, a rádio Tropical, de Treze Tílias, produz vídeos para veiculação em suas redes sociais. A produção não parou durante a pandemia do novo coronavírus. O jornalista Milton Lemke explica. “Geralmente o mesmo tema é produzido em áudio para o rádio e texto para o site da emissora. E o que observamos principalmente no facebook é que as matérias têm boa repercussão o que nos motiva, cada vez mais, reportagens em formato de vídeo”.

Em Ibirama, a rádio Belos Vales, 89,9 FM inovou. A emissora identificou que era preciso melhorar o astral do ouvinte, influenciado com as notícias ruins da pandemia. O Circo Teatro Biribinha está na cidade desde fevereiro, onde deveria fazer uma curta temporada. Com o anúncio das medidas de isolamento social, os espetáculos diários foram suspensos em 17 de março e as lonas permanecem fechadas para o público desde então. Para valorizar o pessoal do circo, surgiu a ideia do palhaço Biribinha fazer uma apresentação na TV on line, implantada no final do ano passado pela Rede Vale Norte Comunicação que engloba a rádio e jornal. A exibição deu certo. Após o sucesso, a emissora abriu espaço para que Birinha também apresentasse um programa na rádio, cujas imagens foram compartilhadas nas redes sociais. Alisson Kufky, diretor da emissora informa.  

“Como agora nós estamos passando por uma fase difícil e a gente tem que se reinventar, essa foi uma das formas para segurar a audiência. Precisamos aliviar a barra do ouvinte com tantas notícias sobre o covif-19. As pessoas estão precisando de um sorriso, de uma alegria, de algo diferente".  

Ouça, abaixo, matéria sobre o assunto

 

Fonte: Assessoria de Imprensa ACAERT

Áudio:

Loading the player...

Tempo: 05m41s